sábado, 7 de abril de 2007

A palhaçada Antitabagismo II



Foi o Rodrigo Hellboy que levantou a bola no seu blog, com um excelente post sobre o assunto.

Segundo a Wikipedia, "O tabagismo é uma toxicomania caracterizada pela dependência psicológica do consumo de tabaco", ou seja, é uma DOENÇA (Dependência Quimica / Psicológica), e como tal deve ser tratada adequadamente e não com uma segregação preconceituosa como essa medida apresentada pela ANVISA.

Seria a mesma coisa que proibir um paralitico de ter acesso a determinados lugares (embora isso aconteça inumeras vezes), ou pior, ele poderia entrar mas teria que deixar sua cadeira de rodas do lado de fora, pois "poderia FERIR alguem com ela".

Isso parece ridiculo, não é mesmo, mas eu realmente me sinto DISCRIMINADO, quase MARGINALIZADO em ter que usar uma cabine para fumar o meu cigarro, enquanto milhares de outras pessoas ficam bêbadas e saem com seus carros pelas ruas dirigindo como loucos.

Não que eu seja contra a bebida (que segundo consta, causa o mesmo numero de mortes que o cigarro em todo mundo), até gosto de tomar a minha cervejinha (com meu cigarrinho do lado, é claro), mas não vejo de forma justa a proibição dos comerciais de cigarros, enquanto as fabricas de bebidas brigam para ver qual faz o melhor (veja neste link o movimento que quer mudar isso).

Pelo que entendi, essa medida ainda está em "consulta pública", e temos até o dia 01 de Maio para apresentarmos nossas propostas, críticas ou sugestões pelo Fórum da Anvisa ou para o e-mail controle.tabaco@anvisa.gov.br, com a designação do assunto “salas exclusivas para fumar”.

As contribuições também serão recebidas por escrito, para o seguinte endereço: Gerência de Produtos Derivados do Tabaco/ ANVISA, Praça Mauá nº 7 19º andar, Rio de Janeiro, RJ, CEP.20081-705 ou para o Fax (021) 32323588.

Não deixe de participar.

Um comentário:

Rodrigo HellBoy disse...

Excelente post, vou colocá-lo como continuação do meu. tomei a liberdade de colocar as informações para a manifestação do píblico no meu Blog.
Temos que tomar alguma medida, caso contrário, ficaremos relamente impedidos de sair de casa.