segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Futilidade

Não sei como as pessoas perdem tempo vendo um programa como o Big Brother Brasil.
Para mim, é o cumulo da futilidade ver pessoas trancadas numa casa, achando que são “celebridades” e o pior de tudo, tentando agir naturalmente com um microfone pendurado e zilhões de câmeras espalhadas pela casa.
Hoje, minha esposa estava vendo o programa (ninguém é perfeito) e eu, deitado no sofá com o pé para o alto (pois quebrei o dedinho na quarta feira antes do Carnaval), e o que vi foi realmente de extremo mau gosto. Cada vez que uma loira chorava lá, me dava vontade de chorar aqui (mas chorar de raiva de estar vendo uma cena tão ridícula como aquela); depois um outro loiro, com a alcunha de “Alemão”, repetia inúmeras vezes: “O Brasil vai decidir... está nas mãos do Brasil...” como se a situação deles fosse à coisa mais importante do nosso país, como se fosse uma eleição para presidente da republica.
Não é a toa que o Brasil se encontra na situação deplorável que está, pois as pessoas se mobilizam para “votar” num paredão do BBB (segundo consta, MILHÕES); mas ninguém faz nada para tentar mudar o rumo da nossa política, para protestar contra os aumentos abusivos ou contra a violência que nos assola.
Sei que alguns defensores do programa irão dizer que o Big Brother é sucesso em vários paises do mundo, mas eu pergunto: Que países são esses? Estados Unidos, a maior potência do mundo; Inglaterra, uma das melhores economias; Holanda, etc. São países do primeiro mundo, com economia estável, com a população instruída e bem alimentada.
Eu estava fazendo uma conta outro dia, com as ligações para eliminar os participantes, em média são 80 milhões de votos, digamos que apenas metade disso (40 milhões) sejam as ligações (o resto são os outros canais: Internet e SMS); ao custo de R$0,30 cada ligação temos R$12.000.000,00; se a Globo tiver um contrato com a operadora de telefonia de 50% ela embolsa em CADA votação a módica quantia de R$6.000.000,00.
Bem, não sou contra as pessoas assistirem ao programa, apenas acho que deveríamos ter uma programação de melhor qualidade, pois nem todos tem a oportunidade de ter TV por assinatura.

Nenhum comentário: